Seja bem-vindo ao BRASIL DE DENTRO. Vamos tirar o Brasil da gaveta!

LEIA!

O BRASIL DE DENTRO é um blog que não visa lucro. Seu objetivo é apenas um: desvendar o Brasil para os brasileiros. Quer ajudar a concretização desse objetivo? Faça o seguinte: divulgue o BRASIL DE DENTRO entre seus amigos. Um grande abraço!

CAMPANHA "VAMOS TIRAR O COMPOSITOR DA GAVETA"

Ajude a preservar a memória do compositor brasileiro. Adote um álbum, e, se tiver acesso aos créditos das canções, informe, nos comentários, o título de cada canção na ordem em que aparece, seguido do nome dos compositores.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

MAVIAEL MELO


POETA MAVIAEL MELO LANÇA 1º CD DA SUA CARREIRA EM SALVADOR
15 DE JANEIRO DE 2014
por Genilson Coutinho

O compositor e poeta Maviael Melo lança Entre a Ponte dos Sonhos, seu primeiro registro fonográfico, contendo a seleção do que há de melhor das suas apresentações pelo Brasil nos últimos anos. O pernambucano, adotado por vários músicos e produtores baianos, fez rigorosa escolha dos causos, poesias e canções, inserindo músicas com as quais ganhou alguns festivais nacionais. O show de lançamento acontece dia 20 de janeiro, às 21h, no Teatro Jorge Amado, sob a direção musical de Kiko Souza, direção artística de Andrezão Simões, e tem as especiais participações de Armandinho Macedo, Carla Visi, João Sereno e Maciel Melo.

MAVIAEL MELO – BIOGRAFIA

Natural de Iguaraci, cidade do Pajeú pernambucano,  o poeta passou a infância e a adolescência entre Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), atravessando diariamente a “ponte dos sonhos”, forma pessoal que batizou a ligação deste municípios, para os quais se deslocava a fim de estudar e trabalhar. Há 8 anos vivendo em Salvador, Maviael Melo há mais de 20 divulga o cordel e a poesia nordestina pelo país, com passagens pelos estados da Paraíba, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, para onde levou suas músicas e versos.


Carinhosamente chamado de “Mavi” pelos amigos e artistas que lhe têm apreço, o matuto letrado é pedagogo por formação. Seus shows mesclam declamações de poesia e cordel com canções que já lhe renderam premiações em diversos festivais de música pelo Brasil, como o de Angra dos Reis (BA, 2006); Juazeiro (BA, 2005); Ibotirama (BA, 2008 e 2009); Visconde do Rio Branco (MG, 2009) e Nova Redenção (BA, 2010).

Seus escritos são contemporâneos e suas composições têm a sensibilidade da cultura nordestina. Sua arte se funde nos textos, voz marcante e melodias refinadas, formando um composto de forte musicalidade. Suas canções refletem o contexto social e religioso do Brasil atual, têm ritmo, cadência e muito improviso. Com destreza, recorre a expressões decassilábicas e metafóricas para pontuar aspectos da política nacional ou das peculiaridades da sua terra natal, exaltando a diversidade brasileira.

É dele a assinatura da trilha sonora do DVD Ética & Ecologia, que discute ética, mudanças climáticas, sociedade e desertificação, do teólogo e ambientalista Leonardo Boff,  lançado na Bahia em 2008.

Sua também é a autoria do Cordel das Águas, publicação que teve mais de cem mil cópias distribuídas nas escolas públicas da Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, e em Belém do Pará, por ocasião do Fórum Social Mundial, em janeiro de 2009.

Em agosto de 2011 realizou o I Encontro de Educação, Cultura e Cordel em Juazeiro (BA), quando lançou a primeira coletânea de cordéis produzida por professores da rede municipal de ensino. Este projeto foi então laureado com o Prêmio Mais Cultura de Literatura de Cordel Patativa do Assaré, do Ministério da Cultura do Brasil (dezembro de 2010).

O lançamento da sua obra Ciclos deu-se em novembro de 2011, na Bienal do Livro da Bahia. Composta por um livro e um CD, nesta o poeta apresenta seus versos mais intimistas, discorre opiniões a respeito do cotidiano, mostrando a face de quem acredita no mundo de pessoas melhores. A primeira edição deste livro e CD foram  totalmente custeada pelo próprio Maviael. A segunda saiu pela Fundação Cultural de Pernambuco, após ser contemplada no edital de cultura daquele estado, em 2012.

Atualmente, além dos eventos musicais que participa, Maviael ensina poesia e cordel para crianças e professores, atestando a arte enquanto importante ferramenta de educação.

CD “ENTRE A PONTE DOS SONHOS” – BREVE RESENHA

Da necessidade de registrar o repertório acumulado ao longo dos últimos 8 anos de shows, onde faz leitura de versos, conta causos e interage com a público durante suas apresentações, veio a vontade de lançar este CD.

O título surgiu dos caminhos percorridos em sua adolescência, enquanto acompanhava o pai e irmãos em cantorias, das suas primeiras apresentações à noite, em bares baianos ou pernambucanos, das idas e vindas entre as cidades de Juazeiro e Petrolina, que por vezes frequentava ou para cantar ou trabalhar e estudar, e também pela força que Maviael carrega consigo de sonhar, da vontade de realizar seus objetivos, tal e qual um operário dos versos.

A canção Chegou a Vez foi a que lhe abriu várias portas de trabalho. Além de ganhar vários festivais de música pelo país, foi desta que surgiu o convite para participar do DVD Ética & Ecologia: Desafios do Século 21, do teólogo Leonardo Boff, que aborda questões como ética, mudanças climáticas, sociedade e desertificação, lançado em 2008.

Um dos seus cordeis mais pedidos pelo público nos shows é Campanha Eleitoral, onde, através da sátira, Maviael retrata os costumes políticos brasileiros em épocas de eleições, arrancando gargalhadas e aplausos do público nas apresentações.

Na Palma da Mão é uma das mais cantadas por Maviael e uma das mais gravadas por outros artistas. Em Mané, Maria e Luar, que conta, na gravação original, com o vocal de Carla Visi, pode-se destacar o formato e linguagem usados no diálogo entre os personagens. Cofre é de uma simplicidade tocante, fruto da sua parceria com  o poeta e músico João Sereno. Fatia de Pão, outra parceria deles, diz, por exemplo,  que o tempo é pai do desejo. Quase um compilado de recados para a vida em versos.

A faixa Pergunte a Você, composta por Maviael no momento de reflexão em uma  relação afetiva, lhe fez perceber que relações mudam só de formato, mas as dúvidas são quase sempre as mesmas.

Segundo o artista, Imensidão foi “um presente que recebeu de Alisson Menenezes, um poeta amigo”. Em A Marcha do Dia Seguinte estão as lembranças dos carnavais da infância e da sua juventude enquanto pierrô apaixonado. Plantador de Milho é de autoria de Daudeth Bandeira, os versos exaltam o jeito simplista de ser e viver dos matutos, ironizando um pouco a vida de um juiz, personagem rebuscado desta composição.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo da Página ↑