Seja bem-vindo ao BRASIL DE DENTRO. Vamos tirar o Brasil da gaveta!

LEIA!

O BRASIL DE DENTRO é um blog que não visa lucro. Seu objetivo é apenas um: desvendar o Brasil para os brasileiros. Quer ajudar a concretização desse objetivo? Faça o seguinte: divulgue o BRASIL DE DENTRO entre seus amigos. Um grande abraço!

CAMPANHA "VAMOS TIRAR O COMPOSITOR DA GAVETA"

Ajude a preservar a memória do compositor brasileiro. Adote um álbum, e, se tiver acesso aos créditos das canções, informe, nos comentários, o título de cada canção na ordem em que aparece, seguido do nome dos compositores.

COMO BAIXAR OS ARQUIVOS DESEJADOS

Tenha certeza de que você está na página dedicada ao artista procurado, e não apenas vendo uma determinada postagem, como uma nota de atualização ou uma nota biográfica. Procure selecionar o artista clicando sobre seu nome na lista apresentada no final da página.

A página do artista apresenta a seguinte ordem: biografia, vídeos disponibilizados no Youtube e as capas dos álbuns com os respectivos links. Para baixar os álbuns, basta clicar na imagem do canário abaixo da frase "TIRE ESTE ÁLBUM DA GAVETA".

sábado, 29 de junho de 2013

CONSUELO DE PAULA

Consuelo de Paula é cantora, compositora, poeta, diretora artística e produtora musical de seus próprios trabalhos. Samba, Seresta e Baião (1998), lançado nos Teatros do SESC Pompéia e Ipiranga (SP); Tambor e Flor (2002), lançado no Theatro Ateneo da Argentina e no Teatro Paiol de Curitiba; Dança das Rosas (2004), lançado no Theatro Municipal de São Paulo e no Teatro Gran Rex de Buenos Aires. Em junho de 2008 foi produzida no Japão a coletânea desses três álbuns, batizada de Patchworck, resultado de sua obra ter obtido destaque na capa do Guia Japonês Brasilian Music (Massato Asso), que selecionou os 500 melhores CDs da música brasileira de todos os tempos. Em 2011 Consuelo lançou seu primeiro livro, A Poesia dos Descuidos (Consuelo de Paula e Lúcia Arrais Morales), premiado pela Secretaria de Cultura do Estado de SP, e também seu primeiro DVD Negra, gravado ao vivo no Teatro Polytheama de Jundiaí. Negra revela novas nuances na trajetória musical de Consuelo de Paula; expressa a pulsação, a alegria e a sensualidade sugeridas pela cor vermelha. Através da voz, Consuelo cria um espetáculo que sugere uma seqüência de quadros de um filme único e envolvente e o resultado é um trabalho sensorial, caloroso, que guarda a delicadeza já presente nas obras anteriores.

Em outubro de 2012 a artista lança o CD CASA acompanhada pela Orquestra À Base de Corda de Curitiba com canções dela e de Rubens Nogueira; convidou arranjadores como Dante Ozzetti, Chico Saraiva, Weber Lopes, Luiz Ribeiro e o próprio maestro da orquestra, João Egashira. Casa é mais uma obra primorosa de Consuelo que assina a concepção, a direção e a produção.

Seus três CDs, considerados sucesso e referência pela crítica, estão articulados a partir de uma unidade conceitual a nos revelar uma trilogia. Todos foram reeditados pela Tratore, com distribuição para todo o Brasil e para o exterior. O DVD Negra, o Livro A Poesia dos Descuidos e o CD CASA são distribuídos pela Tratore e também estão disponíveis na loja virtual da própria artista.

Ao longo de sua trajetória artística tem participado de diversos projetos culturais e de programas conceituados como o Ensaio (direção Fernando Faro) na TV Cultura de São Paulo, Talentos (Giovani Souza), na TV Câmara de Brasília; A Voz Popular (Luís Antônio Giron) na Rádio Cultura de São Paulo, Letra e Música (Pascoale Cipro Neto); Contacto Brasil, na Rádio Jazz, Venezuela, entre outros. Realiza shows em espaços importantes como o Teatro Gran Rex de Buenos Aires (Noite Brasileira, com Consuelo de Paula e Naná Vasconcelos); Theatro Municipal de São Paulo; Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil (Consuelo de Paula, Rolando Boldrin, Chico Pinheiro e Heródoto Barbeiro); CCBB de Brasília (projeto Nossa Língua, Nossa Música, ao lado de artistas da Ilha da Madeira e do Timor Leste, entre outros); Teatro do Itaú Cultural, São Paulo; Teatro do Paiol, Curitiba (Projeto Orquestra à Base de Cordas Convida); Clube do Banco do Nordeste, Fortaleza; Centro Cultural Santander, Porto Alegre; Centro Cultural da Caixa Federal de Curitiba (Projeto Solo Música); Teatro da FUNARTE, Rio de Janeiro; Teatro Abílio Barreto, Belo Horizonte; principais teatros dos SESCs no Estado de São Paulo. Percorreu diversas cidades em diferentes estados brasileiros através do Projeto Pixinguinha da FUNARTE.

Consuelo de Paula é uma das poucas artistas de sua geração que possui, de fato, uma obra auto-referente na forma e no conteúdo. Possui forte presença de palco e carisma, revelando-se primorosa intérprete de sua própria obra e de outros autores. Sua expressão artística é marcada por profunda coerência, sensibilidade e dedicação aos elementos da cultura musical brasileira, com tudo o que ela tem de particular e de universal, de modo a sempre nos colocar diante de algo novo, inusitado e surpreendente, sempre a nos mostrar onde mora o Brasil. Com uma trajetória singular, Consuelo se apresenta como herdeira da arte musical brasileira e mantém compromisso com a contemporaneidade, compromisso esse expresso na maneira inovadora de compor, harmonizar e interpretar. Refinamento erudito, elegância popular e boas idéias são elementos constantes em sua obra, o que lhe tem assegurado profundo respeito, admiração e reconhecimento do público e da crítica especializada.

Outros trabalhos registrados:

Consuelo foi convidada a participar de outros importantes CDs: canta ao lado de Rolando Boldrin no CD Senhor Brasil; abre o CD Prata da Casa, do SESC, com sua canção Dança para um poema; interpreta a canção Lua Branca (de Chiquinha Gonzaga) em Divas do Brasil, disco de prata em Portugal, que reúne as melhores cantoras brasileiras: Elis Regina, Maria Bethânia, Céline Imbert, Bebel Gilberto, Astrud Gilberto e Zizi Possi, entre outras; comparece em duas faixas na coletânea Cachaça Fina (Spirit of Brazil), lançada no exterior: Samba, seresta e baião, de sua autoria, e Moro na Roça, samba que já foi interpretado por Clementina de Jesus.

Assinou o roteiro do CD Velho Chico, uma viagem musical, do cantor e compositor Elson Fernandes, no qual interpreta a canção O Ciúme, de Caetano Veloso, considerada a gravação definitiva pelo crítico Mauro Dias, no jornal O Estado de São Paulo.

Sua canção Sete Trovas foi gravada por Maria Bethânia no premiado CD Encanteria e no DVD Amor, Festa e Devoção.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo da Página ↑