Seja bem-vindo ao BRASIL DE DENTRO. Vamos tirar o Brasil da gaveta!

LEIA!

O BRASIL DE DENTRO é um blog que não visa lucro. Seu objetivo é apenas um: desvendar o Brasil para os brasileiros. Quer ajudar a concretização desse objetivo? Faça o seguinte: divulgue o BRASIL DE DENTRO entre seus amigos. Um grande abraço!

CAMPANHA "VAMOS TIRAR O COMPOSITOR DA GAVETA"

Ajude a preservar a memória do compositor brasileiro. Adote um álbum, e, se tiver acesso aos créditos das canções, informe, nos comentários, o título de cada canção na ordem em que aparece, seguido do nome dos compositores.

COMO BAIXAR OS ARQUIVOS DESEJADOS

Tenha certeza de que você está na página dedicada ao artista procurado, e não apenas vendo uma determinada postagem, como uma nota de atualização ou uma nota biográfica. Procure selecionar o artista clicando sobre seu nome na lista apresentada no final da página.

A página do artista apresenta a seguinte ordem: biografia, vídeos disponibilizados no Youtube e as capas dos álbuns com os respectivos links. Para baixar os álbuns, basta clicar na imagem do canário abaixo da frase "TIRE ESTE ÁLBUM DA GAVETA".

quinta-feira, 19 de junho de 2014

GERALDO AZEVEDO


Compositor. Cantor. Violonista. Autodidata, com 12 anos de idade já estava tocando violão. Aos dezessete, começou a fazer parte do grupo Sambossa.

Iniciou sua trajetória musical quando, aos 18 anos, mudou-se para o Recife, a fim de estudar. Na capital pernambucana, juntou-se ao grupo folclórico Grupo Construção, do qual faziam parte Teca Calazans, cantora, Naná Vasconcelos, percussionista e Marcelo Melo e Toinho Alves, músicos do Quinteto Violado. Em 1967, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou com a cantora Eliana Pittman. Em seguida, juntou-se a Naná Vasconcelos, Nelson Ângelo e Franklin, formando o Quarteto Livre. O grupo acompanhou o cantor Geraldo Vandré em diversos shows, inclusive na emblemática "Caminhando". Devido a problemas políticos com a ditadura militar da época, o grupo se dissolveu.
Em 1968, a cantora Eliana Pittman gravou a primeira composição de Geraldo Azevedo, "Aquela rosa". No incício dos anos 1970, formou dupla com o também pernambucano Alceu Valença. Ainda em 1970, a dupla participou do Festival Universitário da TV Tupi com as composições "78 rotações" e "Planetário". A boa performance da dupla chamou a atenção da gravadora Copacabana. Em 1972, lançou com Alceu Valença, seu primeiro LP. No mesmo ano, e ainda com o parceiro Alceu Valença, tomou parte do Festival Internacional da Canção, com a composição "Papagaio do futuro", que contou com a participação de Jackson do Pandeiro. Ainda com o parceiro Alceu e com Zé Ramalho, fez grande sucesso em fins dos anos 1970, com "Táxi lunar". Também no mesmo período fez grande sucesso com "Caravana", em parceria com Carlos Fernando e que fez parte da trilha sonora da novela "Gabriela", da TV Globo. Em seu trabalho faz um mistura entre as sofisticadas harmonias da Bossa Nova e a viva influência da música negra. É autor de composições de puro lirismo, como "Dia branco" e frevos embrasados, como "Tempo tempero" e "Pega fogo coração". Teve diversas músicas utilizadas em novelas e outros programas de televisão, entre os quais, "Juritis e borboletas", na novela "Saramandaia"e "Arraial dos tucanos", do seriado "Sítio do pica-pau amarelo", ambos na TV Globo. Em 1979 e 1980, participou do projeto coletivo de gravação de frevos, "Asas da América", volumes I e II. Em 1984, participou com os músicos Elomar, Vital Farias e Xangai, do Show "Cantoria", no Teatro Castro Alves, em Salvador, do qual resultou o disco "Cantoria I", gravado ao vivo, nos dias 13, 14 e 15 de agosto daquele ano. Nesse disco, interpretou "Novena", de sua autoria e M. Vinícius e "Semente de Adão", dele e Carlos Fernando, cantada em dueto com Xangai. Participou, ainda, como violonista em diversas faixas do disco. Em 1988, foi lançado o disco "Cantoria II". Em 1996, participou no Canecão, no Rio de Janeiro, do show "O grande encontro", ao lado de Alceu Valença, Elba Ramalho e Zé Ramalho. Do show resultou o CD "O grande encontro", onde interpretou "O ciúme", de Caetano Veloso, "Dia branco", de sua autoria e Renato Rocha, "Veja (Margarida)", de Vital Farias e "Chorando e cantando", dele e Fausto Nilo. Em 1997, gravou "O grande encontro II", com Elba e Zé Ramalho, no qual tocou viola e violão, além de interpretar canções como "O princípio do prazer", de sua autoria e "Canta coração", parceria com Carlos Fernando. Em 1998 gravou o programa "Ao vivo entre amigos", pela Rádio MEC-AM, entrevistado pelo crítico R. C. Albin, tendo sido transmitido para todo o Brasil pela TV Educativa. Em 1999, realizou uma série de shows, percorrendo diversas cidades de Minas Gerais e do Nordeste, culminando com um show em Recife, em Pernambuco, apresentado ao vivo em praça pública. Em 2000, lançou o CD "Hoje amanhã", gravado nos Estados Unidos, no qual interpretou, entre outras, "Vou te buscar" e "Quando você vem", parcerias com Geraldo Amaral e "Tá querendo", parceria com Capinam, além da música título, parceria com Fausto Nilo. Em 2001 apresentou-se na casa de espetáculos Canecão no Rio de Janeiro cantando músicas do seu disco "Hoje amanhã", acompanhado do grupo de forró Paratodos, de seu filho Lucas.Na ocasião, foi apresentado em primeira mão o clipe da música "Onde tu vai João?". Em 2002 foi homenageado pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro com o título de Cidadão do Estado do Rio de Janeiro. No mesmo ano, tocou em Paris com um grupo de artistas brasileiros. Em 2005, fez participação especial no lançamento do DVD "O melhor forró do mundo", gravado ao vivo pelo grupo Forroçacana, em show na casa de espetáculos Canecão, no Rio de Janeiro, cantando com o grupo a música "Táxi lunar".  Em 2006, prestes a completar 43 anos de carreira, realizou show na Lona Cultural Gilberto Gil, em Realengo, no Rio de Janeiro, repassando diversos clássicos de sua trajetória, como "Dia branco, e Táxi Lunar", entre outros. Nessa ocasião, a gravadora Biscoito Fino lançou a coletânea "100 anos de frevo - É de perder o sapato", uma coletânea com dois CDs, da qual participaram vários artistas consagrados da MPB, como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Alceu Valença, Maria Bethânia, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Silvério Pessoa, Geraldo Azevedo e Chico Buarque, entre outros. O álbum conta com a execussão instrumental da Spokfrevo Orquestra, trazendo um repertório que vai do clássico a sucessos inquestionáveis do gênero. As faixas abrangem: "Frevo nº 1" (Antônio Maria) na voz de Maria Bethânia; "Energia" (Lula Queiroz) na voz de Lenine; Valores do Passado (Edgard Moraes) na voz de Maria Rita; "Homem de Meia Noite (Carlos Fernando / Alceu Valença) na voz de Alceu Valença; "De Chapéu de Sol Aberto" (Capiba) na voz de Vanessa da Mata; "Tempo Folião" (Carlos Fernando / Geraldo Azevedo) na voz de Geraldo Azevedo; "Frevo Rasgado" (Gilberto Gil / Bruno Ferreira) na voz de Elba Ramalho; "Me Segura se Não eu Caio" (J. Michiles) na voz de Ney matogrosso; "0 Último Regresso (Getúlio Cavalcanti) na voz de Luiz Melodia; Frevo Diabo (Edu Lobo / Chico Buarque) na voz de Edu Lobo; "Atrás do Trio Elétrico" (Caetano Veloso) na voz de Silvério Pessoa; Frevo nº3 (Antônio Maria) na voz de Geraldo Maia; "Bom Danado" (Luiz Bandeira / Ernani Seve) na voz de Nena Queiroga;" Madeira que Cupim não Rói (Capiba) na voz de Claudionor Germano; "Evocação nº1 (Nelson Ferreira) na voz de Antônio Nóbrega; "Aurora de Amor" (Romero Amorim / Maurício Cavalcanti) na voz de Lígia Miranda, Nena Queiroga, Rosana Simpson e Vanessa Oliveira. Em 2007, sete anos após seu último lançamento, lançou o CD "O Brasil existe em mim", pela Sony&BMG. Nesse álbum, há uma grande diversidade de ritmos, que passa pelos tradicionais samba, forró e maracatu, até sons mais modernizados, como a balada romântica "O Paraíso É Agora", uma versão batida remix desta mesma música, e o reagge "Ver de novo". O disco contou com participações especiais de Elba Ramalho, na faixa "São João Barroco", Alceu Valença, na faixa "Já que o Som Não...", e de Clarice Azevedo, em "Ver de novo". Em 2009, lançou seu primeiro DVD solo, "Uma geral do Azevedo", que contou com a direção geral de Lara Velho. Em 2011, lançou o CD/DVD "Salve São Francisco", homenageando o Rio São Francisco, que atravessa cinco estados do Brasil nordeste. O álbum, produzido por Robertinho do Recife, com direção musical do próprio Geraldo, traz participação de Ivete Sangalo na faixa "O Ciúme", de Caetano Veloso (de 1987) que cita o "Velho Chico" na letra. O DVD exibe imagens das gravações de estúdio. Além de Dominguinhos, Moraes Moreira, Alceu Valença e Roberto Mendes, também participam do projeto Djavan, interpretando "Barcalola do São Francisco", e Fernanda Takai, em "Opara", com influência bossa-novista. No DVD, o destaque é a interpretação de Maria Bethânia, cuja imagem não foi captada para o vídeo. Apenas a voz da cantora é ouvida na interpretação em toada de "Carranca que chora", parceria de Geraldo com Capinam. No mesmo ano, apresentou-se no evento "São João carioca", uma festa junina realizada pela prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Do show, participaram artistas como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Elba Ramalho, Alcione e Dominguinhos. Ainda em 2011, foi indicado ao prêmio Grammy Latino, na categoria “Melhor Álbum de Raízes Brasileiras”, com seu disco "Salve São Francisco". Em 2012, participou do disco "Luiz Gonzaga - Baião de dois", lançado pela Sony Music e produzido por Fagner, em homenagem ao centenário do nascimento do Rei do baião. O CD apresentou quinze obras interpretadas por Luiz Gonzaga, remasterizadas digitalmente, em duetos virtuais com nomes como, além do próprio Geraldo Azevedo, Zélia Duncan, Amelinha, Zeca Pagodinho, Alcione, Alceu Valença, Chico César, Zeca Baleiro, Ivete Sangalo, Fagner, Dominguinhos e Zé Ramalho. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo da Página ↑