Seja bem-vindo ao BRASIL DE DENTRO. Vamos tirar o Brasil da gaveta!

LEIA!

O BRASIL DE DENTRO é um blog que não visa lucro. Seu objetivo é apenas um: desvendar o Brasil para os brasileiros. Quer ajudar a concretização desse objetivo? Faça o seguinte: divulgue o BRASIL DE DENTRO entre seus amigos. Um grande abraço!

CAMPANHA "VAMOS TIRAR O COMPOSITOR DA GAVETA"

Ajude a preservar a memória do compositor brasileiro. Adote um álbum, e, se tiver acesso aos créditos das canções, informe, nos comentários, o título de cada canção na ordem em que aparece, seguido do nome dos compositores.

COMO BAIXAR OS ARQUIVOS DESEJADOS

Tenha certeza de que você está na página dedicada ao artista procurado, e não apenas vendo uma determinada postagem, como uma nota de atualização ou uma nota biográfica. Procure selecionar o artista clicando sobre seu nome na lista apresentada no final da página.

A página do artista apresenta a seguinte ordem: biografia, vídeos disponibilizados no Youtube e as capas dos álbuns com os respectivos links. Para baixar os álbuns, basta clicar na imagem do canário abaixo da frase "TIRE ESTE ÁLBUM DA GAVETA".

domingo, 9 de junho de 2013

LIGIA FRANÇA

A vocação para o canto ocorre no início da vida de Ligia Maria Cavalcanti de França. Ela cresce na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, no Nordeste do Brasil, com influências musicais ricas variadas. Ela ouvia forró, xaxado, baião, maracatu, xote, entre outros. A jovem Ligia ouvia com admiração Elis Regina, uma grande intérprete da música brasileira e da bossa nova, em particular. Mas também grandes vozes femininas do jazz como Billie Holiday, Sarah Voughan, Ella Fitzgerald, Dinah Washington.

Com apenas 12 anos, ela entrou para o grupo “Pó da Terra”, interpretando textos escritos para dar esperança na mudança, nos anos da ditadura. Cantou em quiosques na praia em Natal, onde, em 1994, um empresário a descobre e chama-a para a Itália por alguns meses para executar em um clube brasileiro no Milan. A experiência decepciona, porque o público exige das peças mais famosas e comerciais da música brasileira (Garota de Ipanema, com respeito pelo grande Jobim), sem apreciar os outros autores de qualidade como Djavan, Edu Lobo ou autores históricos como Pixinguinha, Noel Rosa, Cartola.

Voltando a Natal continua a executar e participar do Projeto Seis e Meia, onde ela canta junto com Luis Melodia. Em 1996, ele recebeu um convite para uma turnê de três meses na Lombardia e no ano seguinte, ele decidiu instalar-se definitivamente na Itália, pela primeira vez em Bergamo, em seguida, em Florença, Turim, e finalmente para Veneza.

No Brasil, teve a oportunidade de executar com Vânia Abreu e Rita Ribeiro. Na Itália, as apresentações são acompanhadas por músicos brasileiros (Roberto Taufic, Carlinhos Moreno, Armando Marçal, Sidney Rodrigues, William de Oliveira, Gilson Silveira e Julio Gonçalves) e Italiano (Sandro Gibellini, Giancarlo Bianchetti, Beppe Fornaroli, Mark e Leo Ponchiroli de Angilla).

É de particular importância a sua participação no Festival Latino-Americano de Verona e no Dia das Nações Unidas de Turim. Ela canta em vários lugares da Europa e do Maracanã, em Florença, com especialização em música brasileira local, e participa de grupos importantes, como “Veneto Jazz” e “Tam Tam”. Lígia em 2006 gravou seu primeiro álbum “Vida”, com Calígula Records, que contém composições originais de artistas como ela, para Natal, como Pedrinho Mendes, Babal, Roberto Taufic Romildo Soares, RogerioTavares, Marcos Aurélio e Fábio Fernandes.

O disco a fez conhecida de uma forma mais seletiva e exigente. A Porsche Itália decidiu distribuir o disco acolhendo-o em sua programação “Os Cinco Sentidos de autoria”. O projeto foi desenvolvido em conjunto e visa à difusão da cultura e da música brasileira, além de apoiar um projeto de caridade para uma instituição que trata de crianças com câncer do GACC no Natal.

O segundo álbum, “Mundo Melhor”, gravado no Brasil, com a contribuição de Joca Costa, guitarrista, arranjador e professor de música no Brasil, que já trabalhou com Gilberto Gil, Sivuca e Jacques Morelembaum, foi lançado em 2008. Valiosa ajuda dos ventos, especialmente aqueles no Venetian plurisassofonista Piero Bittolo Bon. Os melhores resultados são obtidos quando Ligia, no entanto, é acompanhada apenas pelo violão, um instrumento como poucos adequado para a íntima bossa nova e convincente de que ela prefere. Uma porta para um mundo melhor, onde eles finalmente deixou de lado o pior, a guerra, para oferecer o melhor, o amor

Depois de apenas dois anos, no início de 2010, um outro trabalho vem à tona: “Meu mundo é Hoje”. Apoiado por um magnífico sexteto - de percussão e piano por Armando Marçal Aruan Ortiz seus pontos fortes - e precioso amigo e arranjador Taufic, sua voz parece literalmente voar, permeando um balanço suave e sutil treze músicas cuidadosamente escolhidas para a gravação.

Ligia França é apreciada não só como um excelente intérprete de música brasileira, mas também pelas suas qualidades como um bom vocalista, capaz de mover-se, com a sua voz quente e convidativa, a partir de baixo para sovracuti. A última turnê, organizada em colaboração com a Porsche Itália, viu o seu desempenho em um sexteto com Aruan Ortiz (piano), Roberto Taufic (violão), Edu Hebling (contrabaixo), Roberto Rossi (bateria). Na percussão se revezaram Leo Angilla e Gilson Silveira.

(Texto traduzido pelo tradutor do Google Crome e adaptado por BRASIL DE DENTRO. Ver texto original  na fonte) 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo da Página ↑