Seja bem-vindo ao BRASIL DE DENTRO. Vamos tirar o Brasil da gaveta!

LEIA!

O BRASIL DE DENTRO é um blog que não visa lucro. Seu objetivo é apenas um: desvendar o Brasil para os brasileiros. Quer ajudar a concretização desse objetivo? Faça o seguinte: divulgue o BRASIL DE DENTRO entre seus amigos. Um grande abraço!

CAMPANHA "VAMOS TIRAR O COMPOSITOR DA GAVETA"

Ajude a preservar a memória do compositor brasileiro. Adote um álbum, e, se tiver acesso aos créditos das canções, informe, nos comentários, o título de cada canção na ordem em que aparece, seguido do nome dos compositores.

COMO BAIXAR OS ARQUIVOS DESEJADOS

Tenha certeza de que você está na página dedicada ao artista procurado, e não apenas vendo uma determinada postagem, como uma nota de atualização ou uma nota biográfica. Procure selecionar o artista clicando sobre seu nome na lista apresentada no final da página.

A página do artista apresenta a seguinte ordem: biografia, vídeos disponibilizados no Youtube e as capas dos álbuns com os respectivos links. Para baixar os álbuns, basta clicar na imagem do canário abaixo da frase "TIRE ESTE ÁLBUM DA GAVETA".

sábado, 8 de setembro de 2012

TECA CALAZANS


Em 1964, fez parte, com Geraldo Azevedo e Naná Vasconcelos, entre outros, do grupo musical e teatral Construção.

Em 1967, gravou seu primeiro disco, um compacto simples com "Aquela rosa" (Geraldo Azevedo e Carlos Fernando) e "Cirandas" (pesquisa e adaptação de Teca Calazans).

No ano seguinte, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou, como atriz, no Teatro Opinião e na TV Globo.

Em 1970, viajou para a França, onde conheceu Ricardo Villas, com quem formou a dupla Teca & Ricardo, que atuou no cenário artístico até 1981 e gravou cinco LPs.

Com a dissolução da dupla, voltou ao Brasil e retomou sua carreira solo, principalmente como compositora, com músicas gravadas por Milton Nascimento, Gal Costa e Nara Leão, entre outros.

Em 1982, gravou o LP "Teca Calazans".

No ano seguinte, participou do projeto idealizado pela Funarte, em memória dos 80 anos de Mário de Andrade, que resultou no LP "Mário 300, 350", no qual interpreta repertório folclórico.

Em 1984, lançou o LP "Mina do mar".

Em 1988, participou do projeto "100 anos de Heitor Villa-Lobos", registrado no disco "Teca Calazans chante Villa-Lobos", lançado nos mercados norte-americano e europeu. Ainda nesse ano, gravou "Intuição", disco independente com direção musical de Maurício Carrilho, lançado na Europa em 1993.

Retornou à França em 1989, onde se fixou definitivamente. Nesse país, lançou os CDs "Pizindim" (1990), registrando obras de Pixinguinha (lançado no Brasil em 1997), "O samba dos bambas", com O Trio, com obras de compositores clássicos do samba (lançado no Brasil em 1996), e "Firoliu" (1996), predominantemente autoral (lançado no Brasil, em 1997).

Lançou, em 1999, o CD "De cara nova" e, em 2000, o CD "Alma de Tupi", contendo, entre outras, "Aranã", de Sinhô, e a faixa-título, de Jararaca.

Em 2003, lançou, com Heraldo do Monte, o CD "Teca Calazans & Heraldo do Monte".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo da Página ↑